Site Meter

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O Gigante de Lucerna

por desvela, em 01.06.11
Gigante de Lucerna, gigante da lâmpada, ou génio da lâmpada...
Quando falámos aqui de Lucerna, ligámos à história de Aladino, pelas lâmpadas egípcias, uma vez que lucerna e lâmpada são sinónimos, e o "génio" ficou guardado na lâmpada... mas não tínhamos a informação que permitiria juntar um outro dado - o Génio da história era um gigante!
Depois de esfregar no assunto, o gigante apareceu, conforme texto sobre as Âncoras suiças (2), e esteve presente nas armas de Lucerna.
Gigante de Lucerna, na ponte Kappelbrucke (imagem)

É Antoine Galland que no início do Séc. XVIII vai popularizar no ocidente as "Mil e uma Noites", e aparentemente decide incorporar a história de Aladino e também as de Ali Babá e Sindbad. À falta de pesquisa e dados sobre as duas últimas, voltamos a Aladino e à lâmpada, ou seja Lucerna, que mereceu esta atenção suplementar.

Galland estaria certamente ciente da história do Gigante de Lucerna, ossos enviados ao médico de Basileia, Felix Plater em 1577, depois dos ossos terem sido descobertos numa tempestade, quando uma árvore tombou. Plater determinou que eram humanos e de dimensão considerável, ou seja 18 a 19 pés, o que colocaria o indivíduo perto dos 6 metros de altura.

Os ossos foram guardados, juntamente com o esboço do desenho feito por Plater, e como a polémica se reacendeu no início do Séc. XIX, foram enviados ossos ao antropólogo Blumenbach, que determinou tratarem-se de ossos de elefante. Ponto final... reticências, e exclamação!
Afinal, haveria elefantes na Suiça... bom, é claro que Blumenbach deveria querer referir-se a algum mamute ou mastodonte, mas a palavra não teria ainda sido inventada. 
Blumenbach irá ficar famoso por definir que existe apenas uma espécie humana, e que é semelhante em toda a Terra. Isso é obviamente marcante pelo bem maior que teve ao igualar as diferentes raças, numa altura em que havia escravatura. Porém, é também nessa altura que a afirmação de Blumenbach ganhará mais significado - os eventuais gigantes da Patagónia ou da Tasmânia, estariam em vias de desaparecer, sendo que os pigmeus já teriam desaparecido!

Felix Plater, e outros avaliadores suiços, até Blumenbach terão simplesmente confundido ossadas de elefante com ossadas humanas... Assim, com um erro grosseiro passado, o problema fica resolvido no presente - uma técnica de Estória repetida vezes sem conta na História.

Porém, o problema é um pouco mais complicado!
Não há apenas o relato desse caso invulgar do Gigante de Lucerna.
Voltamos a Buffon... ainda não estamos no Séc. XIX, e ele pode dizer isto:
Les races fes géans autrefois si communes en Asie, n'y subsistent lus. Porquoi se trouvent-elles en Amérique aujourd'hui?
(Buffon, Volume 3, Époques de la Nature, pag. 431)

De quem falava Buffon? Falava dos gigantes da Patagónia, dizendo "car on ne peut douter qu'on n'ait rencontré dans l'Amérique méridionale des hommes en grand nombre tous plus grands, plus carrés, plus épais et plus forts que ne le sont tous les autres hommes de la terre".

Dalguma forma antevia o desfecho seguinte - "leur race s'est conservée dans ce continent désert; tandis qu'elle a été entièrement détruite par le nombre des autres hommes dans les contrées peuplées"... ou seja, o isolamento tinha permitido à raça de patagões subsistir, mas isso estava prestes a mudar no Séc. XIX, quando a Província do Rio de La Plata vai passar a ser Argentina conquistando a Patagónia, conforme já mencionámos. Apesar do relato de Pigafetta na viagem de Magalhães, e de avistamentos posteriores, de Drake e outros viajantes, tudo isso passará a mito. Ora, não o era para Buffon, credibilizado como um dos pais da teoria da evolução.

Juntamos mais alguns registos, que fomos encontrar numa Enciclopedia Americana do Séc. XIX, começando por um que também consta da wikipedia, o de Teutobochus Rex, segundo W. A. Seaver em 1869:
In times more modern (1613), some masons digging near the ruins of a castle in Dauphine, in a field which by tradition had long been called 'The Giant's Field,' at a depth of 18 feet discovered a brick tomb 30 feet long, 12 feet wide, and 8 feet high, on which was a gray stone with the words 'Theutobochus Rex' cut thereon. When the tomb was opened they found a human skeleton entire, 25-1/2 feet long, 10 feet wide across the shoulders, and 5 feet deep from the breast to the back. His teeth were about the size of an ox's foot, and his shin-bone measured 4 feet in length.
O nome Teutobochus Rex refere-se ao líder Teutónico que combateu o romano Mário na batalha de Aquae Sextiae, e assim estaríamos na presença de um combate de um romano David contra um Golias teutónico. A justificação da wikipedia é simples... os restos mortais eram de um dinossauro, só faltava dizer que na tomba deveria estar Tyranosaurus Rex e não Teutobochus Rex (sendo que aí o tirano deveria ser Sula, inimigo de Mário). Talvez tenha havido alguma falsificação na identidade, mas não necessariamente confusão entre um humano e um dinossauro!

Outros registos de gigantes passam na Sicília, por Licetus, que dá conta de um gigante com 30 pés, e de serem gigantes os Guanches, primevos habitantes das Canárias, antes de serem extintos na conquista portuguesa e especialmente na espanhola. Há ainda as outras menções já feitas, que incluem os registos asiáticos, nomeadamente na Índia, onde aparecem agora as imagens assumidamente falsas de vários achados de gigantes:
Imagem falsa de gigante - com propaganda de "imagens falsas"
fica quase impossível passar alguma que fosse verdadeira... ainda que existisse!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:49



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Junho 2011

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D