Site Meter

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Seguindo os pés de Barros (3)

por desvela, em 08.11.15
Continuamos a sequência de origens toponímicas feita por João de Barros:

agora segue da letra M até R (apenas com uma entrada nessa letra).
___________________

M
Minho - rio mui conhecido que parte agora o Reino da Galliza do de Portugal, chamão-lhe todos Minius.

Mértola - vila de Lusitania, chamou-se Julia Mirtilis.

Mondego - rio que passa por Cuimbra, todos lhe chamam Munda, mete-se no mar em Buarcos. Junto deste rio havia uma cidade chamada Munda, que não sabemos hoje onde é. Strabo [Estrabão] no livro 3 de Situ Orbis lhe chama Muliades, donde parece que vem Mondego e não de Munda. Mondego inter montes dego id est curvo, porque donde nasce, que é na Serra da Estrella, sempre corre antre montes e serras muito altas até cerca de Cuimbra, e eu o vi com olhos indo para a cidade da Guarda.

Malegoa [Málaga] - dizia Aretro que se chamava Salduba, mas Ptolomeo lhe chama Malica

Murcia - na Baetica diz Aretro que se chamava Murgis.

Marquena [??] - vila na Boetica, diz o Siculo que se chamava Ategua, da qual fala César nos Comentários.

Mantagis [?? montargil] - castelo na Lusitania chamava-se Magna Calabria segundo o diz Siculo.

Montayo  [? Moncayo] - em Galiza chamou-se Mons Caci, porque nela morou Caco, que Hércules matou.

Moura - vila na Lusitania, Morum.

Monviedro [Murviedro] - diz Antonio de Guevarra por longos argumentos que se chamava Saguntum, onde Annibal teve cercada a gente daquela vila, e lhe resistiram animosamente, sem nunca se lhe quererem dar, e estiveram muito tempo cercados donde saiu o adágio da fome saguntina, e agora lhe chamam Monvedro que significa monte velho ou muro velho, alguns tiveram que Saguntum fosse Çamora [Zamora] mas esta é a verdade que todos têm.

Medina - é vocábulo arávico [arábico], e quer dizer vila ou cidade, e tem o acento na última syllaba, e por este nome ser comum o puseram os Mouros a muitos lugares assim como a Medina del Campo de Rio Seco, Sidonia, Celi, e deste modo os Gregos põem este vocábulo polis, que quer dizer cidade, com adição de outro nome, assim como Constantinopolis, Heliopolis, Andinopolis, e assim os Alemãis põem o vocábulo Burg, que quer dizer cidade, vila ou castelo, tirado do Grego Pyrgos [torre], assim como Lucemburg, Friburg, Braudeburg. De maneira que Medina é nome comum que se conhece pelo adjunto, e estas medinas de Castela tinham outros nomes antigos, e estes lhe puseram os Mouros e ainda em este Reyno há lugares chamados Almedina, assim como em Cuimbra a porta dalMedina que quer dizer porta daVila, do que chamam os Mouros a uma enfermidade dos pés como bichos, como nascem no Brazil, uma meden que quer dizer vea servil, a qual os Gregos chamam crasanculum que quer dizer serpentina.

Mancha de Aragão - se chamava Espartaria.

Munhecar [Almuñecar] - na Bética, chamava-se Munda, segundo Annio.

Moos [Mós] - vila detrás dos montes [de Trás os Montes] entre Freixo e Atune, tem um muro muito forte e antigo, e na porta da vila uma pedra com duas mós, e por isto se chama assim.

Monção - vila antiga de Portugal junto do Minho, tão bem parece que de Caco lhe ficou aquele nome, posto que o não vi escrito.

Malega [Málaga- vila na Andaluzia, do muito melg'o [melgaço] nela, um se chamava melaria, outros lhe chamavam Meraria, mas Antonio chama-lhe Malica, e parece que Meraria deve ser outra, Anio chama-lhe Salduba.

Madrid - chamava-se Mantua Carpentanea segundo Siculo.

Marialva - alguns dizem que se chamava Mary arua que é "Campos de Mário", vila é na Lusitania conhecida, e tem ali pedras antigas onde vi letreiros que dizem Marius. E uma era muito grande, a par de uma casa feita de pedras, todas que tomam toda a largura da parede.

N

Nóbrega - vila em Portugal, ou Castelo duas léguas de Bragua [Braga]  chamava-se Juliobriga, como diz Antonio e é dos edifícios de Brigo Rey.

Nemon [??? - vila na Lusitania sobre o Douro, vinte léguas do mar, parece que lhe chama Ptolomeu Nemobriga e é povoação alta, forte, e antiga segundo dos edifícios parece.

Neva [Neiva]  - Castelo. O rio chamava-se Nebis.

Navara [Navarra - Reino, chamava-se Celtiberia, e os povos Celtiberos, ou Celtas.

Oviedo - cidade na parte de Terracona chamava-se Teva segundo Volaterrano e Siculo.

Oria - cidade, Orium.

Oropisa - era Orospeda : Annio.

Osuna - chamava-lhe Ursaona.

Osma - diz Ptolomeu que se chamava Villuca, mas Siculo lhe chama Uxunia e diz que assim o sente Plinio.

Orense - cidade em Galliza junto do Rio Minho, chamava-se Auriense na Chancelaria de Roma, e diz Siculo que se chamava Olvea, outros dizem que se chamava Ansiloquia de um grego que a fundou, e os Romanos lhe chamaram Aqua Calida, por as caldas que tem, e agora Orense, do ouro que nela se cava, os Godos lhe chamaram Ounes.

P

Pombal - vila na Lusitania sete léguas de Coimbra, para o poente tem Castelo em monte alto, e pela conta do Itinerário parece que se chamava Celium, porque por ali faz o caminho para Braga e não por o Rabaçal.

Pamplona - cidade de Navarra chamou-se Pompeleia quasi cidade de Pompeio, porque ele a edificou, segundo Volaterrano.

Palencia - chamava-se Palancia.

Ponte de Lima - vila de antre Douro & Minho, chamava-lhe Ptolomeu Forum Limicum, e os moradores dali chamavam-se Limici. Mas o Itinerário parece que lhe chamava Limia, este nome parece que se lhe pôs por ela estar junto daquella ponte no Rio Lima que é mui grande, e sumptuosa das maiores de Espanha.

Portugal - é nome moderno que se não escreve pelos antigos como já disse, e tomou novo nome do Porto e de Gaia, de quem este nome pôs primeiro há muitas opiniões como direi.

Ponte Vedra - vila de Galiza chamava-lhe o Itinerário Ponte Venis.

Povoa de Vazi [Póvoa de Varzim- vila do termo de Barcellos parece que lhe chama Ptolomeu Volubriga, posto que ele errou o sítio de Galliza e dos rios dela. Parece edifício de Barcino, capitão de Cartago.

Pinhel - vila na Lusitania, parece que lhe chama Ptolomeu Pinetum.

R

Rosis - vila de Aragão, chamava-se Roda.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:32



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D